Search
Close this search box.

STF e “ditadura do judiciário” voltam a ser criticados pela mídia internacional

Alerta internacional para a escalada da ditadura do judiciário. O STF e o ministro Alexandre de Moraes voltaram a ser destaque na mídia internacional – e de forma negativa. Depois de a BBC e do New York Times – declaradamente, veículos de esquerda – alertarem para a “escalada da ditadura do judiciário”, o site the American Conservative resgatou o tema, apontando sobre “os perigos da união entre a Suprema Corte e à presidência da República” – incluindo o vice, Geraldo Alckmin.

Logo no início do texto, intitulado “A Ditadura Emergente no Brasil – Um único juiz descontrolado pode subverter setores massivos da vida pública com uma pequena ajuda de seus amigos” publicado nesta terça-feira (28), o American Conservative chama atenção para o comportamento do ministro Alexandre de Moraes

“Imagine que, nos Estados Unidos, um juiz da Suprema Corte, associado de longa data do presidente e do vice-presidente, ordene que algumas pessoas sejam presas sem julgamento por postar ameaças nas redes sociais. Além disso, ele sentencia um congressista a nove anos de prisão por ameaças online ao Tribunal.

Em seguida, ele inicia uma investigação de notícias falsas que leva ao bloqueio de dezenas de contas de mídia social e à remoção de postagens e ao bloqueio temporário do aplicativo de mensagens Telegram em todo o país; ele também ordena ataques a empresários sem muitas evidências de irregularidades”, apontou o editorial, fazendo coro com o que poucos sites e jornais brasileiros têm feito nos últimos meses.

Ditadura do Judiciário foi apontada até pela ‘mídia de esquerda’

Mais adiante, o American Conservative pontua exatamente a origem de todo o conflito: a guerra entre o STF e o presidente Jair Bolsonaro, o qual aponta ser “de longa data”.

“As ações de Moraes acontecem no contexto de um impasse entre o então presidente Jair Bolsonaro e o Supremo Tribunal Federal (STF), a Suprema Corte do país. O conflito entre a Corte e Bolsonaro é tão antigo quanto sua presidência, mas chegou ao auge depois que Bolsonaro perdeu a eleição presidencial em 30 de outubro de 2022, para Lula da Silva, candidato de extrema esquerda e ex-presidente. Enquanto Bolsonaro se recusou a ceder diretamente, ele pediu que os protestos contra os resultados fossem pacíficos e disse que obedeceria à Constituição”.

Na conclusão da crônica, o American Conservative critica o posicionamento do judiciário, apontando que as ações têm ocorrido “tão às claras”, que até veículos progressistas, mais à esquerda, já apontaram em diversos momentos.

“Muitos estão preocupados que Moraes esteja destruindo a democracia para salvá-la, acrescentando (as posições de) júri e carrasco ao seu título de juiz. Até a BBC e o New York Times expressaram preocupação com as ações de Moraes”, concluiu o American Conservative

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Pocket
WhatsApp

Nunca perca nenhuma notícia importante. Assine nosso boletim informativo.

Loading

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *