Search
Close this search box.

Pela presidência, Massa tenta dobrar a aposta no assistencialismo

massa

Sergio Massa, candidato da situação, promete redobrar os esforços para atrair mais dólares e aumentar as promessas para os mais de 18 milhões que hoje recebem ajuda do governo

O vencedor do 1º turno das eleições presidenciais da Argentina, Sergio Massa (Unión por la Patria) já iniciou sua campanha para superar o rival da direita, Javier Milei (La Libertad Avanza) na chamada “segunda vuelta” da disputa pela Casa Rosada.

O ministro da Economia de Alberto Fernández – e representante do kirchnerismo – já confirmou que irá buscar todas as formas para aumentar as reservas cambiais do país, atualmente à beira do total esgotamento. A meta de Massa é chegar a 15 de novembro – quatro dias antes do segundo turno – com o dólar oficial a 350 pesos. Para atingir seu objetivo, Massa não descartou uma nova investida ao Fundo Monetário Internacional.

Massa contou com “ajuda” do governo petista 

Antes do primeiro turno das eleições, disputadas no domingo (22), Massa já havia contado com a ajuda definitiva de Luiz Inácio Lula da Silva, O petista usou sua influência para obter US$ 1 bilhão junto ao CAF (Banco de Fomento da América Latina). O empréstimo foi crucial para que o FMI liberasse US$ 7,5 bi de uma linha de crédito para socorrer os cofres públicos da Argentina.

A medida gerou reação imediata da oposição brasileira. O deputado Gustavo Gayer (PL-GO) entrou com uma ação no Ministério Público Federal para que o órgão investigue uma suposta intervenção de Lula no resultado das eleições do país vizinho.

Massa abusa do assistencialismo para chegar na frente

A passagem do candidato governista ao segundo turno contra Javier Milei contou com um esforço concentrado na classe mais dependente do povo argentino. Atualmente, 18,5 milhões recebem algum benefício do estado. Além disso, Massa apostou em medidas como congelamento de preços, cashack em compras de supermercado e adiou aumentos de tarifas públicas. Tudo para chegar em 1º, com 36,7% dos votos mais de 6% à frente de Milei.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Pocket
WhatsApp

Nunca perca nenhuma notícia importante. Assine nosso boletim informativo.

Loading

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *