Search
Close this search box.

Israel emite nota de repúdio contra declarações de Lula

Israel contraria presidente brasileiro, que comete mais uma gafe internacional

Após esnobar o dólar americano e atacar a Ucrânia por ter sido invadida pela Rússia, o ‘presidente’ Luiz Inácio Lula da Silva (PT) decidiu criticar a criação do estado de Israel.

“A ONU era tão forte que, em 1948, conseguiu criar o Estado de Israel. Em 2023, não consegue criar o Estado palestino”, alfinetou Lula em discurso realizado em Madri nesta quarta-feira (26). O PT, vale a menção, sempre se mostrou contrário aos israelenses e favoráveis a palestinos e iranianos.

A declaração do mandatário não passou batida pela embaixada de Israel em Brasília, que divulgou uma longa nota corrigindo a gafe do petista.

“Em 29 de novembro de 1947, a Assembleia da ONU votou uma proposta para dividir o território do mandato britânico em dois estados: judeu e árabe”, apontou o representante diplomático israelense.

“À frente da reunião da Assembleia das Nações Unidas estava o diplomata brasileiro Oswaldo Aranha. Os judeus – a liderança de cerca de 600 mil pessoas que viviam na área do mandato – concordaram.

Os árabes que viviam na área do mandato e os países árabes vizinhos não aceitaram a decisão e lançaram um ataque às aldeias e cidades judaicas e ao estado recém-fundado. Na guerra que nos foi imposta, vencemos e estabelecemos um Estado – o Estado de Israel. A ONU deu a oportunidade do estabelecimento de um Estado Árabe/Palestino em 1947.

Os árabes tiveram a oportunidade de estabelecer um estado e o rejeitaram, provavelmente pensando que derrotariam Israel e estabeleceriam um estado em todo o território do mandato britânico relevante”, apontou o comunicado de repúdio.

Israel é defendida por ONG StandWIthUs Brasil

Além da embaixada de Israel, a organização StandWithUs Brasil também se manifestou contra a declaração historicamente errada de Lula sobre a ONU, citada justamente no Yom HaAtzmaut, dia da Independência israelense.
“Ao contrário do que disse o presidente da república, Luiz Inácio Lula da Silva, Israel não foi criado pela Organização das Nações Unidas. Em 1947, o que a Partilha da ONU preconizou foi a criação de dois países, um para judeus e outro para árabes. Os judeus aceitaram, os árabes, não”, apontou a ONG.

“O Estado de Israel foi fundado depois de uma guerra empreendida pelos exércitos do Egito, Jordânia, Síria, Líbano e Iraque contra os judeus.

Quanto a um Estado para Palestinos, tampouco a ONU ou outros organismos internacionais têm o papel de criá-lo atualmente, a não ser que os próprios palestinos e israelenses venham a selar a paz de forma independente – o que, infelizmente torna-se difícil, especialmente diante da divisão entre as próprias principais lideranças palestinas, entre o Fatah, partido do presidente Mahmoud Abbas, e o Hamas, grupo terrorista que controla ditatorialmente a Faixa de Gaza”, concluiu.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Pocket
WhatsApp

Nunca perca nenhuma notícia importante. Assine nosso boletim informativo.

Loading

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aproveite 20% OFF