Search
Close this search box.

Defendido por Lula, fim da desoneração é criticado até por sindicatos

Desoneração

Sindicalista da UGT afirma que fim da desoneração pode gerar 1 milhão de demissões ainda em 2024

O presidente nacional da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah. admitiu que o fim da desoneração de 17 setores da economia pode gerar demissões e atingir milhões de trabalhadores brasileiros.

Segundo Patah, o corte da tributação à folha de pagamento – defendido pelo governo Lula – envolve pelo menos 12,5 milhões de profissionais na ativa, ao revogar os efeitos da Lei 14.784/23, recentemente aprovada pelo Congresso.

“Quanto à contribuição do veto à meta fiscal do governo, não ficou bem clara essa premissa. Primeiro o Ministério da Fazenda falou em R$ 25 bilhões, depois em R$ 20 bilhões e por último em R$ 16 bilhões. Tem alguma coisa errada com os números (sobre o custo da redução) que eles apresentam. O certo é que o veto pode resultar na perda de pelo menos 1 milhão de postos de trabalho”, declarou o sindicalista à revista Oeste.

Call centers podem ser os mais impactados pelo fim da desoneração, diz sindicalista

Ao rebater o que afirmou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Ricardo Patah descreve que o fim da desoneração apoiado pelo mandatário no Dia do Trabalho, não será algo benéfico aos mais pobres. 

“Inclusive o setor de call center é grande responsável pelo primeiro emprego e é o que mais emprega mulheres. Só aí poderão acontecer mais de 200 mil demissões, além de reduzir substancialmente as contratações”, destacou. 

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Pocket
WhatsApp

Nunca perca nenhuma notícia importante. Assine nosso boletim informativo.

Loading

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aproveite 20% OFF