Search
Close this search box.

Censura nas redes sociais: Saiba quais são os países mais autoritários do planeta

Censura

A iminente censura aplicada ao X – ou a saída definitiva do país – é um lembrete para o avanço do autoritarismo contra usuários das redes sociais em todo o mundo

A hipótese de fechamento do escritório da rede X no Brasil em razão da censura, resgatou o histórico de medidas autoritárias contra as redes sociais pelo mundo. Caso o X confirme sua retirada, o microblog seguirá o destino de Locals e Rumble, que não aceitaram imposições de nossa justiça eleitoral.

O grande firewall da China e a censura

A China do ditador Xi Jinping é o líder global de banimento de aplicativos e sites. Desde 2009, Facebook, Twitter (hoje X), WhatsApp e Facebook são bloqueados por ordem do governo. O veto às redes sociais ficou conhecido como The Great China Firewall – uma alusão às Grandes Muralhas do gigante asiático.

Desde 2011, o governo comunista lançou um serviço alternativo chamado WeChat. Contudo, o uso do VPN (Virtual Private Network) é uma prática comum entre os chineses para driblar o forte rastreamento.

Índia

Outra nação que se destaca pela censura à liberdade de expressão é a Índia, que até 2020 era um dos maiores usuários do TikTok. O aplicativo da Bytedance foi censurado em 2020, após o governo alegar que o uso dos vídeos online era prejudicial à nação.

A justificativa oficial foi a de que o TikTok – além de mais 58 aplicativos – “oferecem ameaças à soberania e integridade da Índia, à defesa da Índia, à segurança do Estado e à ordem pública”.

Coreia do Norte

A censura às redes sociais na Coreia do Norte começou mais tarde. Em 2016, a ditadura de Kim Jon-un dobrou a aposta contra os usuários de VPN. Por meio de decreto, qualquer cidadão que fosse flagrado usando métodos para driblar a censura seria alvo de punições severas.

Turcomenistão

O país muçulmano – que separou-se oficialmente da União Soviética em 1991, dois anos após a queda do muro de Berlim – não admite o uso de nenhuma plataforma de origem ocidental. Para garantir a repressão, os estudantes são obrigados a assinar compromissos de não usar VPN para acessar páginas do Facebook e X.

Irã

Assim como na China, o Irã barrou Facebook e Twitter em 2009, em meio às eleições – e os protestos populares – daquele ano. Para barrar usuários como o VPN, o governo ditatorial começou a aplicar em 2020 uma série de medidas para cortar o sinal das redes privadas.

Cuba

Aliado de primeira hora do governo Lula, o uso de qualquer rede social é estritamente proibido na ilha do caribe. O país dominado pela revolução de Fidel Castro é hoje um dos mais censurados do mundo, atingindo grau 79 (de 100) no índice internacional Freedom On The Net.  

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Pocket
WhatsApp

Nunca perca nenhuma notícia importante. Assine nosso boletim informativo.

Loading

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *