Search
Close this search box.

Bancada Evangélica ataca Lula e critica volta da cobrança de impostos

Bancada

O deputado federal Silas Câmara (Republicanos-AM), que lidera a bancada evangélica na Câmara, classificou a decisão de Lula como “lamentável”

Embora afirme que o governo precisa “se aproximar dos evangélicos”, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) decidiu extinguir um decreto do governo Jair Bolsonaro (PL) que prorrogou o benefício de isenção de impostos para igrejas e templos.

A decisão de terminar a renúncia fiscal foi tomada na semana passada pela Receita Federal, que justificou atender a uma determinação do Tribunal de Contas da União (TCU).

Bancada evangélica reage

Apesar de os parlamentares estarem ainda em recesso até o início de fevereiro, a medida governista provocou reações imediatas na chamada Bancada Evangélica.

O deputado federal Silas Câmara (Republicanos-AM) foi o primeiro a se manifestar, e chamou a atitude do petista de “lamentável”

“Lamentável. Para um governo que diz reconhecer a importância das religiões e a necessidade de aproximação do segmento, fazer um movimento desses é incompreensível”, declarou Silas Câmara.

Assinada pelo secretário da Receita Federal, Robinson Barreirinhas, a medida já foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (17).

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Pocket
WhatsApp

Nunca perca nenhuma notícia importante. Assine nosso boletim informativo.

Loading

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aproveite 20% OFF